sexta-feira, 3 de junho de 2011

Árvore Genealógica (Básica)

Aqui temos uma mini árvore genealógica. Podemos observar que temos alguns filhos de CAOS. Temos também a união de Gaia (filha de Caos) com Urano. Temos, também, a união de Réia com Cronos. E a união de alguns dos deuses mais conhecidos e falados hoje em dia: Zeus e Hera (fihos de Cronos).


Fugindo um pouquinho do assunto:


Gaia e Urano tiveram vários filhos, e por algum motivo, Urano decidiu prendê-los no Tártaro (veremos o que é um pouquinho mais à frente). Gaia ficou com raiva de Urano devido à isso e pediu a seus filhos que matassem Urano. Porém só Cronos teve coragem de matar seu próprio pai. Então Gaia retirou de seu cormpo uma foice e entregou-a a Cronos. Então, Cronos foi até Urano e o CASTROU! E dos testículos de Urano que foram atirados na terra, fez nascer Ninfas, três cíclopes e três Centimanos (50 cabeças e 100 braços). E dos testículos de Urano que foram atirados na água, fez nascer Afrodite (deusa da beleza, do amor, da sexualidade e da fertilidade).



Durante muito tempo quem governou a Terra foi Urano (o Céu). Até que foi destronado por Cronos, filho de Urano e pai de Zeus. Então Urano profetizou que Cronos também seria destronado por um de seus filhos. Cronos era casado com Réia, e quando seus filhos nasciam ele os devorava. Assim aconteceu com Hera, Hades, Poseidon, Héstia e Demeter. Quando nasceu o sexto filho, Réia decidiu salvá-lo, com a ajuda de Gaia (a Terra) que desgostava Cronos porque ele aprisionou os Hecatônquiros no Tártaro, temendo seu poder, esses gigantes possuíam cem braços e cinquenta cabeças.
Gaia leva Réia para parir secretamente esse filho na Caverna de Dicte em Creta. Lá Reia dá seu filho que se chama Zeus (tesouro que reluz) aos cuidados de Gaia e das Nifas da Floresta, Zeus cresceu alimentado pela cabra Amalteia. Quando ela morreu, ele usou a sua pele para fazer um escudo conhecido por Égide. Logo Réia retorna ao Palácio de Cronos, local onde Reia e seu esposo viviam e enrola em panos uma pedra e começa a fingir um parto, depois dá ao seu marido esse embrulho e ele o engole achando ser o sexto filho. Em outras versões Réia dá um potro a Cronos.
Quando chegou à idade adulta enfrentou o pai. Zeus disfarçou-se de viajante, dando-lhe a Cronosuma bebida que o fez vomitar todos os filhos que tinha devorado, agora adultos. Após libertar os irmãos, iniciou a guerra Titanomaquia. Cronos procurou seus irmãos para enfrentar os rebeldes, que reuniram-se no Olimpo. A guerra duraria 100 anos até que seguindo um conselho de Gaia, Zeus liberta os Hecatônquiros, então os deuses olímpicos venceram e aprisionaram os titãs no Tártaro, em outras versões os aprisionaram embaixo de montanhas. Então partilhou-se o universo, Zeus ficou com o céu e a Terra, Poseidon ficou com os oceanos e Hades ficou com o mundo dos mortos.


O Mundo Inferior


O Mundo Inferior, governado pelo deus Hades, é o lugar para onde vão as almas das pessoas mortas, sejam elas boas ou ruins. Guiadas por Hermes, o emissário dos deuses, são levadas ao mundo Inferior para lá tornarem-se sombras. Os deuses olímpicos saíram vitoriosos da batalha travada contra os Titãs (a Titanomaquia, veremos o que é um pouco mais à frente), e Zeus, Poseidon e Hades partilharam entre si o universo; Zeus ficou com os céus e as terras, Poseidon ficou com os oceanos e Hades ficou com o mundo dos mortos. Do mundo inferior, os titãs pediram socorro à Érebo, ao que Zeus respondeu lançando Érebo para lá também, onde se tornou a noite eterna do Hades. Hades, deus do mundo subterrâneo (ou inferno) tinha cinco irmãos, Zeus, Héstia, Demeter, Hera e Poseidon, seus pais eram Cronos e Réia. Era casado com Perséfone, em que Hades raptou do mundo superior, para tê-la como rainha. Hades traiu Perséfone duas vezes, uma com a ninfa da Cócito e quando se apaixonou por Leuce, filha de Oceanus. 

Caronte o Rio Aqueronte

     Antes de chegar ao Hades, os mortos pegam a balsa de Caronte para atravessar o rio Aqueronte (das dores). Caronte transporta os heróis, as crianças, os ricos e os pobres para o Hades propriamente dito. Caronte cobra moedas para fazer a passagem. Era costume grego colocar uma moeda, chamada óbolo, sob a língua do cadáver, para pagar Caronte pela viagem. Se a alma não pudesse pagar, ficaria forçadamente na margem do Aqueronte para toda a eternidade, e os gregos temiam que pudesse regressar para perturbar os vivos.
     Hades ordenou-lhe que não transportasse vivos, fossem quais fossem as razões para atravessar o rio, ameaçando-o com um pesado castigo, mas alguns, com muita habilidade, conseguiam enganar Caronte ou convencê-lo a abrir uma exceção.       
Na outra margem do Aqueronte ficaria Cérbero, o cão de guarda de três cabeças do Hades. Era muito dócil e gentil com as almas que chegavam, mas demonstrava sua face violenta caso elas tentassem fugir.  

Os Juízes do Mundo Inferior

     No Mundo Inferior as almas eram julgadas por três juízes, com responsabilidades específicas: Minos, tinha o voto decisivo, Éaco, julgava as almas européias e Radamanto, julgava as almas asiáticas. Nem mesmo Hades interferia no julgamento deles, a não ser em raras ocasiões.
Quando um morto caía no Tártaro parece que ele recebia uma punição específica, como Sísifo que foi condenado a rolar uma pedra com suas mãos até o alto de uma montanha, e toda vez que estava alcançando o topo, a pedra rolava novamente montanha abaixo até o ponto de partida.
Os juízes não são deuses e sim mortos que devido à sua forte personalidade e seu senso de justiça tornaram-se juízes. Em algumas versões Hades seria o presidente do tribunal dos mortos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário